segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Alpha Notícias: Valtra aposta em soluções para agricultura de precisão

 
Marca quer garantir mais eficiência aos trabalhos do campo
 
Texto e Fotos: Assessoria de Imprensa

Considerada a maior feira a céu aberto da América Latina, a Expointer é também um dos eventos mais tradicionais do Rio Grande do Sul, que reúne as principais novidades da tecnologia agropecuária e agroindustrial.

Por conta disso, a Valtra – referência nacional na produção de soluções agrícolas – apresenta nesta 38ª edição, entre os dias 29 de agosto e 6 de setembro, uma gama de serviços voltados à agricultura de precisão.

Dentre os principais atrativos da Valtra para este segmento está a Fuse Technologies – estratégia desenvolvida para permitir a integração e a otimização de recursos das propriedades agrícolas com base nos seguintes conceitos-chave:

Redução do tempo de parada: melhorando a produtividade agrícola por meio da conectividade sem fio e de serviços de diagnóstico;

Gerenciamento de frota: com o uso de ferramentas de conectividade, os produtores rurais podem fazer melhorias na gestão de seu negócio e se comunicarem com os equipamentos em campo – móvel ou fixo – independentemente da marca;

Consultoria: as concessionárias da Valtra permanecem em constante contato com os produtores a fim de ajudá-los a tomar as decisões mais precisas durante o ano todo. “A proposta da Fuse é transformar as práticas atuais usadas na operacionalização dos processos de cultivo, a partir do uso integrado de soluções tecnológicas aplicadas ao conceito de agricultura de precisão, levando à redução de custos de produção, maior eficiência e rentabilidade”, defende Rafael Antônio Costa, gerente de marketing de produto ATS da AGCO. 


Auto-Guide 3000
 
O piloto automático Auto-Guide 3000 é guiado por satélite, e devido à sua precisão, reduz custos e aumenta a produtividade da lavoura. Além de diminuir a fadiga do operador e evitar falhas e sobreposições no trajeto das máquinas durante o trabalho no campo.

O equipamento, que pode ser instalado em tratores, colheitadeiras e pulverizadores, oferece até três níveis de precisão: centimétrico (que através de sinal RTK, consegue uma precisão de até 2,5 cm na passagem dos maquinários); decimétrico (até 10cm de precisão na passada) e submétrico (20-40cm de precisão entre passadas). 

Todos os comandos são executados no monitor C3000 instalado na cabine. Com tela touchscreen de 12,1 polegadas, a interface é de fácil manuseio, navegação simplificada e intuitiva. 

AgCommand
 
O sistema de telemetria da Valtra, AgCommand, é o responsável pela coleta automática das informações da máquina durante a operação e pelo envio de dados via rede GPRS para um servidor. Com este produto, o agricultor tem total controle do desempenho dos maquinários, pois pode acompanhá-los via website ou aplicativo em tempo real.
Fieldstar
 
Essencial para quem trabalha com taxa variável, o Fieldstar da Valtra faz o mapeamento mecanizado da produtividade. O sistema que conta com sensores, um receptor GPS e um terminal de interface com o usuário, permite que os dados de colheita sejam armazenados em um dispositivo móvel (cartão de dados), assim, ao executar a operação de colheita, os sensores de produtividade e umidade fazem a leitura de acordo com as condições da lavoura. Ou seja, com o sistema Fieldstar é possível gerenciar os controles dos implementos agrícolas, fazendo a manipulação de dados e o mapeamento de toda a colheita. 

Go-Task
 
Durante a 38ª Expointer, a Valtra apresentará pela primeira vez no Brasil o aplicativo Go-Task, que vai facilitar o gerenciamento de máquinas agrícolas, aumentando a segurança e reduzindo o tempo e os esforços necessários para transferir dados. Isto porque este recurso transfere informações diretamente das máquinas para os smartphones ou tablets (e vice-versa) sem a necessidade de conexão de fios ou mesmo de internet: basta a proximidade do aparelho com a máquina agrícola para que os dados sejam enviados.

A tecnologia de comunicação é altamente segura e promete agilizar a rotina dos agrônomos e chefes de colheita, garantindo que o processo de programação do mapa de recomendação da colheita/plantio, e captura de relatórios de desempenho gerados ao final do dia de trabalho, por exemplo, sejam transferidos de forma rápida e sem risco de perda de dados ou transferência incompleta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana

Coisa Velha

Jornal BLEH!