quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Alpha Notícias: A compra segura começa com bom senso



Quem está comprando automóveis está preferindo os seminovos

Fernando Masetti*

O mercado brasileiro de automóveis vive uma crise grave, registrada nos primeiros meses de 2015. Os carros novos registraram uma queda de 22,87% em 2015. 

O cenário é de recessão e muitas concessionárias de automóveis estão resistindo à crise porque as vendas de carros usados registraram alta, levantamento mais recente da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto) aponta que a venda de veículos seminovos cresceu 4,1% no acumulado dos oito meses de 2015 comparado com o mesmo período do ano anterior.

O consumidor, que está observando a situação de crise na economia, está optando por carros usados. O preço dos novos teve uma alta média de 7,2%, enquanto que o preço dos usados diminuiu 3,2%. Não é à toa que a venda dos usados aumentaram.

Quem está comprando automóveis está preferindo os seminovos, com até três anos de uso. Nesse segmento, as vendas aumentaram extraordinários 31,3%.

Se você pretende comprar seu carro em breve, aposte em um seminovo. Vale a pena procurando um juro mais baixo e aproveitar as ofertas. Mas nem só de vantagens vive o cenário existem os consumidores interessados que se deixam levar por um automóvel que se aplica ao famoso ditado popular “por fora, bela viola...”, mas que na verdade nem possui condições de circular.

A devida precaução vale para todos os tipos de anúncios, desde os classificados dos jornais ao cartaz de “vende-se” afixado em vidros de automóveis. O que deve prevalecer nessa situação é principalmente o chamado “desconfiômetro” do consumidor, que precisa ficar atento a ofertas com valores muito abaixo ou muito acima do praticado, conferir as características do veículo para ver se condizem com as fornecidas no anúncio e checar a veracidade do endereço e do telefone do anunciante.

Mesmo com todos esses cuidados, a possibilidade de fazer um mau negócio não está totalmente descartada. No caso de um veículo clonado, por exemplo, a placa vai constar como existente, ainda que a verdadeira pertença a outra unidade. Pode haver também a incerteza da idoneidade do vendedor, que recebe o pagamento, mas não entrega o produto.

O último balanço mensal da Checkauto, empresa do Grupo DEKRA Brasil, especializada em consultas sobre o histórico online de veículos seminovos e usados, apontou restrições em 11% dos carros consultados em agosto, evitando aos bolsos dos consumidores um prejuízo de R$ 117,3 milhões.

É muito importante que, durante a negociação, sejam tomadas ações preventivas, como a realização de uma consulta ou até mesmo uma vistoria antes da finalização da compra para verificar se o modelo de ótima aparência não é fruto de roubo ou furto ou se não teve a quilometragem adulterada. A contratação de um serviço do gênero disponibiliza ao comprador informações sobre restrições administrativas, tributárias e judiciais. Não são raras às vezes em que esse descuido pode custar o valor integral do produto. Será que o risco vale a pena?

*Gerente de Varejo da DEKRA Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana

Coisa Velha

Jornal BLEH!