sábado, 3 de outubro de 2015

Alpha Esportes: Acidente tira David Muffato da etapa da Fórmula Truck em Guaporé




Acelerador travado faz caminhão Scania do piloto paranaense romper guard-rail e tombar até árvores existentes atrás do circuito

Texto e Fotos: Assessoria de Imprensa

Um acidente envolvendo o paranaense David Muffato paralisou por três horas e meia a terceira e última sessão de treinos livres para a oitava etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, neste sábado no Autódromo Dr. Nelson Luiz Barro, em Guaporé (RS). 


O piloto não sofreu nenhum ferimento na capotagem para fora da pista. Contudo, seu caminhão Scania não poderá ser reparado em tempo de disputar a corrida neste domingo.


O terceiro e último treino livre da etapa gaúcha transcorria havia menos de oito minutos quando Muffato teve o acelerador travado na aproximação para a Curva da Vitória. “Freei e pisei na embreagem, mas vi que não iria conseguir evitar a batida. Aí tirei as mãos do volante e cruzei os braços sobre o peito para esperar a pancada. Chegamos àquele ponto da pista a uns 150 km/h, imagine o que é isso num caminhão e com o acelerador travado”, falou.

O Scania número 35 cruzou a pista, rompeu as lâminas de guard-rail e capotou ribanceira abaixo. “Devo ter rolado uns 10 metros para baixo naquela ladeira. A única pancada mais fortinha foi no toco de uma árvore que existia atrás do guard-rail e que foi cortada. De resto, aquelas árvores que existem ali amorteceram bastante a queda”, narrou o piloto. “O caminhão parou lá embaixo com as rodas para o alto e o motor já apagado”, detalhou.


Muffato saiu da cabine do caminhão por conta própria, antes mesmo da chegada das equipes médica e de resgate. “Estava de ponta-cabeça. Tratei de desligar a chave geral do caminhão, que fica no teto da cabine, e alguns outros instrumentos do painel e saí. Vi que não tinha fogo, eu estava bem, não havia com que me preocupar. É chato quando acontece um acidente. Principalmente agora, porque meu caminhão estava muito bom”, disse.

A operação para retirada do caminhão do lugar para onde tombou após cruzar o guard-rail consumiu quase duas horas. A equipe Muffatão considerou, de início, a possibilidade de recuperar o equipamento para que o piloto tivesse condições de disputar a corrida. “As mudanças que fizemos surtiram efeito e o caminhão estava tracionando como nunca, a nossa chance de pódio era muito boa. Vai ficar para a próxima etapa, em Cascavel”, lamentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana

Coisa Velha

Jornal BLEH!