segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Alpha Notícias: Conheça os benefícios do uso compartilhado dos carros elétricos




Saiba por quê ele é a chave para a mobilidade urbana do futuro

Texto e Foto: Assessoria de Imprensa

Os brasileiros estão cada vez mais atentos às novidades que prometem amenizar o caos da mobilidade urbana. O grande número de veículos nas ruas, alto custo dos combustíveis e forte impacto ambiental, são alguns dos problemas que inviabilizam a manutenção do atual sistema e motivam pesquisadores a desenvolverem soluções alternativas.

Em Santa Catarina, um grupo de engenheiros desenvolveu o projeto PodCycle, veículo urbano para duas pessoas, projetado exclusivamente para a nova economia inteligente compartilhada. “Nós acreditamos que a mobilidade urbana do futuro será elétrica, intermodal, sustentável, compartilhada e inteligente”, afirma Rodrigo Magri, engenheiro mecânico e coautor do projeto.

O carro elétrico, realidade em países da Europa e nos EUA, ainda engatinha no Brasil - mesmo com sua extensa lista de prós se comparado aos carros movidos à queima de combustíveis como etanol, gasolina e diesel. Segundo Brener Martins, um dos idealizadores do PodCycle, “além da emissão zero de gases poluentes, o carro elétrico proporciona mais economia, menos ruídos e baixo custo de manutenção”. De acordo com a equipe, o carro elétrico tem custo inferior a R$ 0,05 para percorrer um quilômetro.

O engenheiro mecânico e mentor técnico do PodCycle, Mahatma Marostica, avalia o caráter urbano do veículo desenvolvido em Santa Catarina. “O PodCycle é um veículo que nasceu sob medida para o uso urbano. Hoje os veículos convencionais são feitos para uma média entre o rodoviário e o urbano, e há muita coisa que sobra dentro do veículo, que só agrega custo”, explica.

Para levar o PodCycle para as ruas, está no ar uma campanha no site de financiamento coletivo Catarse (catarse.me/evpodcycle), cuja meta é arrecadar R$ 68 mil para finalização da produção da primeira unidade do carro e realização de um tour de apresentação pelo país. Até o momento, os apoiadores investiram mais de R$ 28 mil.

“Os carros elétricos já são realidade fora do Brasil, mas aqui a produção ainda é cara. Já investimos R$ 40 mil na aquisição dos componentes do chassi, motor elétrico, inversor e carregador. Para chegar a este ponto, foram três anos de muito trabalho, pesquisa e criação de parcerias. Agora contamos a ajuda de todos para finalizar o projeto”, argumenta Rodrigo.

Mudança de hábito: compartilhamento de veículos

Na França, há quatro anos, a empresa Autolib disponibilizou o primeiro serviço de compartilhamento de veículos elétricos no país. Em terras brasileiras, Rio de Janeiro, Curitiba e Recife têm iniciativas públicas piloto para oferecer o modelo em que o motorista paga pelo tempo que usa o automóvel e pode devolvê-lo em pontos pré-definidos.

O car sharing, defendido pela equipe que fomenta o projeto PodCycle, aos poucos vai ganhando adeptos, e se mostra como alternativa para diminuir o número de carros em circulação nas cidades. Via de regra, o processo é simples: o usuário se cadastra, retira e devolve o carro em locais previamente definidos e diferente do que ocorre nas locadoras tradicionais, paga por tempo de uso. 

Em Curitiba, a prefeitura lançou o projeto Ecoelétrico, que pretende espalhar 600 carros elétricos compartilhados e cerca de mil vagas pela capital paranaense. O sistema incluirá também o compartilhamento de bicicletas e a instalação de totens multifuncionais com informações sobre mobilidade urbana.

Em Recife, o projeto de sustentabilidade PortoLeve, engloba o compartilhamento de carros elétricos e bicicletas, além de um sistema de localização de vagas, entre outras iniciativas.

Na Pedra Branca, em Palhoça (SC), um projeto piloto foi implementado pela startup PodShare - cujos mentores também estão envolvidos com o PodCycle. Diferente dos exemplos citados acima, a PodShare utilizava um veículo modelo GOL. O bairro palhocense foi o primeiro de Santa Catarina a lançar o sistema de carro compartilhado, e o primeiro no Brasil a disponibilizar este tipo de serviço dentro de um condomínio empresarial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana

Coisa Velha

Jornal BLEH!