quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Alpha Notícias: Com dólar alto, qual carro vale a pena importar?




Modelos esportivos continuam com preços atrativos para o mercado brasileiro

Texto e Foto: Assessoria de Imprensa

Com o dólar cotado a R$ 4, o mercado de veículos importados sofre o reflexo da crise com aumento dos custos no mercado independente. 

No entanto, alguns veículos específicos, sobretudo modelos topo de linha, ainda têm preço competitivo no cenário de dólar em alta. Isso ocorre porque como existem poucas unidades disponíveis, o consumidor que se dispõe a comprar um veículo premium aceita pagar mais por um carro a pronta entrega, a esperar por uma unidade que chegará em pelo menos 90 dias.

“Modelos específicos como o novo Corvette, a linha Dodge Hellcat, e alguns modelos sobretudo conversíveis da linha Mustang tem o preço de mercado mais alto do que o custo de importação, o que torna a aquisição importante até mesmo como investimento”, explica Daniel Valério, CEO da Direct Imports, que atua há 11 anos no segmento da importação independente, e tem loja na Avenida Europa, tradicional ponto de comércio de carros de luxo na capital paulista.

Mas quais versões valem a pena importar com o dólar cotado a R$ 4? Confira o ranking da Direct Imports e os principais atributos de cada carro:

Corvette Z51 2016: cotado a R$ 600 mil no mercado de veículos novos, seu custo de importação fica um pouco abaixo dos R$ 400 mil. De série, o Corvette tem motor V8 6,2 litros de alumínio com 460cv, capaz de acelerar de 0 a 100Km/h em 3,8 segundos. “A cor preferida é a torch red, vermelha, que torna esse carro muito desejado no Brasil e com o pacote Z51 que tem freios Brembo, kit aerodinâmico com peças em fibra de carbono e controle de suspensão magnético, é um carro feito para as pistas”, diz Valério.

Dodge Challenger SRT Hellcatt: o muscle car segue a receita americana tradicional com motor V8 6,2 litros de 707cv de potência, câmbio automático de oito velocidades, Freios brembo de 15,4” e suspensão ajustável a gás com três pré-ajustes. 

Ford Shelby GT 350: as series especiais do Mustang tem muita procura, Segundo o executivo. A versão GT que estreou esse ano não é diferente. Com motor V8 5,2 litros de 526cv e um pacote que inclui diferencial Torsen 3.73 e câmbio manual de seis velocidades, marca o retorno da divisão Shelby ao portfólio da Ford. 

Ford Mustang GT conversível: o modelo mais caro da linha “comum” do Mustang é o GT, equipado com motor V8 5,0 litros e 435cv, tem acabamento diferenciado com escapamento cromado duplo, sistema de som profissional Shaker com 12 auto-falantes, rodas de alumínio aro 19´´ com diversos pacotes opcionais. “Um carro do perfil do Mustang conversível tem maior valor agregado mesmo após alguns anos de uso, e o clássico motor V8 de cinco litros entrega uma excelente relação de potência por um bom valor de importação”, finaliza o executivo.

A Direct Imports possui sede em São Paulo, na Avenida Europa, 843 e estrutura própria em Miami, nos Estados Unidos, para agilizar a negociação com os concessionários além da logística de embarque para o Brasil. O site da Direct Imports é o www.directimports.com.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana

Coisa Velha

Jornal BLEH!