segunda-feira, 23 de maio de 2016

Alpha Notícias: Empresas firmam parceria para aluguel de veículo elétrico na região de Campinas




CPFL Energia e Hertz disponibilizam um Renault Zoe para locação no Aeroporto de Viracopos

Texto e Foto: Assessoria de Imprensa

A CPFL Energia e a Hertz firmaram parceria inédita no Brasil para a introdução de um automóvel elétrico na loja do Aeroporto de Viracopos, em Campinas. O acordo faz parte das ações do Programa de Mobilidade Elétrica da CPFL Energia – Emotive.

A partir do começo do segundo semestre de 2016, os clientes da Hertz poderão alugar um Renault Zoe, que compõe a frota própria de veículos elétricos da CPFL Energia. O carro tem autonomia de 150 quilômetros e poderá ser reabastecido gratuitamente em qualquer um dos 25 eletropostos públicos que o Grupo pretende instalar até o final deste ano. A unidade da Hertz em Viracopos também possuirá um ponto de carregamento instalado.

“Um dos objetivos da parceria com a Hertz é estudar o perfil de uso dos veículos elétricos pelos motoristas que os utilizam para fins particulares, além de ampliar as pesquisas sobre o impacto da tecnologia na rede de distribuição local”, diz o diretor de Estratégia e Inovação da CPFL Energia, Rafael Lazzaretti.

“Sempre buscamos oferecer opções e serviços diferenciados aos nossos clientes”, explica a diretora de marketing da Hertz, Ana Paula Kuba Ide. “Esta parceria é uma maneira inovadora de proporcionar uma nova solução em transporte, e ainda vai ao encontro de nossa responsabilidade ambiental”, completa.

Ao devolver o Zoe, os clientes da Hertz poderão preencher um questionário relatando a sua experiência com o carro elétrico, tornando parte importante do projeto de P&D. Além disso, o veículo contará com um sistema de telemetria para coleta de informações do funcionamento do carro que serão usadas no projeto.

Outro objetivo do acordo com a Hertz é aproximar o motorista tradicional da tecnologia dos veículos elétricos, que vem ganhando cada vez mais espaço nos EUA e na Europa pelo seu baixo custo operacional e baixo impacto ao meio ambiente. Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o Brasil tem hoje 1,8 mil unidades em circulação, entre elétricos e híbridos.

Atualmente, o Programa de Mobilidade Elétrica da CPFL Energia - Emotive possui cinco eletropostos públicos em operação. Quatro deles estão em Campinas e um em Jundiaí, áreas de concessão da CPFL Paulista e da CPFL Piratininga, respectivamente: 

* Em frente à sede da CPFL Energia, na Rodovia Engenheiro Miguel Noel Burnier, nº 1755, no Parque São Quirino (Campinas). 

* Área externa do posto de serviços automotivos da Bosch, na Rua Fernão Pompeu de Camargo, nº 800, bairro Jardim do Trevo (Campinas). 

* Centro de Convivência de Campinas, em frente ao City Bar, Rua General Osório, bairro Conceição. 

* Shopping Iguatemi Campinas, na área do Valet – Deck Parking P2 

* Posto de Serviços da Rede Graal no km 57 da Anhanguera, na altura de Jundiaí. 

Em breve, novos pontos de recarregamento estarão disponíveis em ruas, outros shoppings centers, na Unicamp e na Rodovia dos Bandeirantes, entre outras localidades. Ao digitar a palavra “eletroposto” em aparelhos de GPS, será possível encontrar os locais em operação na região.

Os eletropostos em operação no âmbito do Programa permitem o carregamento rápido dos veículos, reabastecendo 80% da bateria em meia hora. Com exceção do eletroposto da Graal, que é universal e recarrega todos os tipos de automóveis, os demais pontos são apenas compatíveis com os carros elétricos fabricados com plug tipo 2 (Mennekes), o que inclui as montadoras Renault, BYD e BMW.

P&D em mobilidade elétrica

A parceria com a Hertz para a locação de veículo elétrico faz parte do Programa de Mobilidade Elétrica da CPFL Energia – Emotive, um projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) que estuda os impactos da utilização dos veículos elétricos, financiado com recursos do programa de P&D da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A pesquisa, iniciada em 2013, receberá R$ 21,2 milhões em investimentos até 2018, ano de sua conclusão.

Atualmente, o projeto encontra-se na sua segunda fase. A expectativa nesta etapa é de ampliar a frota de veículos elétricos para até 16 carros e aumentar o número de eletropostos em operação para até 25. Os pontos de recarregamento serão colocados em locais públicos, como shoppings centers, postos de serviços, na prefeitura e em outros pontos estratégicos. 

Entre os temas estudados estão o impacto na rede elétrica e no planejamento da expansão do sistema, uso dos veículos elétricos como fonte de geração distribuída, os aprimoramentos regulatórios e legais, o ciclo de vida e reaproveitamento das baterias, estudo de tarifas e cobrança, a proposição de um modelo de negócios para a mobilidade elétrica no Brasil, além de outras questões relacionadas.

Na primeira fase da pesquisa, foi possível concluir que os veículos elétricos são uma excelente opção para as pessoas que buscam economia. Os dados levantados pelo projeto mostram que o valor do quilômetro rodado de um automóvel a combustão é de aproximadamente R$ 0,30, ao passo que esse custo no veículo elétrico é de R$ 0,10, ou seja, um terço do gasto com um carro convencional.

Outra conclusão da primeira fase é de que a expansão dos veículos elétricos teria impacto pequeno na demanda por energia. As projeções iniciais da CPFL Energia apontam que o uso desta tecnologia ampliaria o consumo de energia entre 0,6% e 1,6% no Sistema Interligado Nacional (SIN) em 2030, quando as previsões indicam que a frota de carros elétricos pode alcançar entre 4 milhões e 10,1 milhões de unidades. 

Em junho de 2015, a CPFL Energia anunciou uma parceria com a Rede Graal para a criação do primeiro corredor elétrico do País, entre Campinas e São Paulo. O acordo prevê a instalação de dois pontos de carregamento em postos da rede nas Rodovias Anhanguera e Bandeirantes, na altura do município de Jundiaí. 

O projeto conta, atualmente, com alguns tipos de parcerias. As principais são:

* As entidades executoras dos estudos: CPqD, Unicamp e Daimon, além da portuguesa CEiiA. 

* As empresas que utilizam os veículos: Natura, 3M, Instituto CCR, Unicamp e outras parcerias em fase de fechamento. 

* As empresas que possuem eletropostos em seus estabelecimentos: a Rede Graal e o Shopping Iguatemi.

O nome do Projeto

A origem do nome Emotive se deu a partir de algumas conexões entre o concreto e o abstrato. O concreto (ou técnico) da marca se inspirou em automotivo: “auto” e “o” substituído por E com objetivo de indicar Energia do começo ao fim. A assonância da letra “E” favorece a memorização e a pronúncia. Além de continuar significando “automotivo”, porém, na língua inglesa: “automotive”.

Já o abstrato da marca está ligado às emoções humanas, o que conecta e motiva a cuidar do meio ambiente. EMOTIVE representa o motivo de ser sustentável. Existe, por fim, a sigla VE ao final da palavra, que significa Veículo Elétrico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana

Coisa Velha

Jornal BLEH!