quinta-feira, 5 de maio de 2016

Alpha Notícias: Mortes no trânsito caem no Estado de São Paulo




Uma das razões para a queda é o aumento nas blitze da Lei Seca 

Texto: Assessoria de Imprensa

Acidentes de trânsito em todo o Estado de São Paulo registraram, em março deste ano, 5% menos óbitos que março de 2015 (506 mortes contra 531 do ano passado), segundo o Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga-SP). 

O número de óbitos por acidentes de trânsito em todo o Estado, no primeiro trimestre de 2016, também apresenta índice favorável. De acordo com o Infosiga-SP, de janeiro a março houve uma diminuição de 8% em relação ao mesmo período do ano passado (1.360 mortes em jan-fev-mar de 2016 contra 1.483 em jan-fev-mar de 2015). 

Esses números positivos corroboram a meta do governo do Estado, por meio do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, de reduzir em 50% o total de vítimas fatais no trânsito no Estado de São Paulo até 2020. Objetivo esse inspirado, aliás, na Década de Ação Pela Segurança Viária (período de 2011 a 2020), estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU), para chamar a atenção sobre a questão da violência no trânsito. “Ao lançar o Movimento, demos um importante passo para a redução das chamadas causas externas, uma das principais causas de mortalidade em São Paulo, no Brasil, no mundo inteiro”, declarou o governador Geraldo Alckmin. 

Ações que contribuíram para a redução dos números 

Dentre as iniciativas do governo do Estado que mais contribuíram para os resultados positivos do Infosiga-SP de março, está a Operação Direção Segura. Na comparação entre o primeiro trimestre de 2016 e o mesmo período do ano passado, houve um aumento de quase 60% nas blitze da Lei Seca. 

Se em janeiro/ fevereiro/ março de 2015 foram submetidos ao teste do etilômetro (bafômetro) 25.579 condutores, nos três primeiros meses deste ano foram 40.211 motoristas. A quantidade de operações de bloqueios também cresceu cerca de 5%, nesse mesmo período (de 5.695 em 2015 para 5.967 em 2016). 

Outra ação do governo do Estado que vem colaborando substancialmente para os resultados conquistados é o Programa Direção Segura. Trabalho conjunto entre as equipes do Detran.SP e das polícias civil, militar e técnico-científica, ela já aplicou 78.589 testes de etilômetro (bafômetro) em todo o Estado desde que foi lançada, em fevereiro de 2013. Ao todo, 8.173 pessoas foram autuadas por embriaguez ao volante. Dessas, 1.324 cometeram crime de trânsito pelo teor alcoólico que o etilômetro (bafômetro) apontou. Além desses programas, os trabalhos rotineiros da Polícia Militar têm como alvo a embriaguez ao volante. 

Campanhas educativas permanentes e campanhas preventivas em feriados prolongados e eventos com grande apelo para o consumo de álcool, como o carnaval, rodeios e festivais, são também fatores determinantes para os bons resultados alcançados. Aliás, nesta quinta-feira (21), inicia-se o feriado prolongado de Tiradentes, coincidentemente Dia Nacional da Paz no Trânsito. E, para garantir a segurança nas ruas, avenidas e estradas e manter os índices favoráveis, haverá, como sempre, reforço no efetivo das polícias. “O objetivo é que haja cada vez menos acidentes em São Paulo e, consequentemente, menos óbitos. Nossos esforços têm caminhado nessa direção”, afirmou o governador Geraldo Alckmin. 

Sobre o Infosiga-SP 

Lançado em 23 de fevereiro deste ano, o Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga-SP) é um relatório com informações mensais sobre acidentes e óbitos em consequência de ocorrências no trânsito, em todo o Estado. A publicação traz dados do mês anterior, e os informes dos 645 municípios do Estado de São Paulo ficam disponíveis na internet, no endereço www.infosiga.sp.gov.br. O documento apresenta tipo de acidente, perfil da vítima (pedestre ou ocupante de veículo), gênero e faixa etária. 

Do total de óbitos por acidentes de trânsito ocorridos em março de 2016, por exemplo, 64% foram provocados por colisões e atropelamentos; 76% envolveram pessoas do sexo masculino, e 24% eram jovens de 18 a 29 anos. Dados do Infosiga-SP deste mês ainda apontam que a maior parte das vítimas estava em motocicletas (30%). 

O Infosiga-SP é baseado na triagem e tabulação de boletins de ocorrência da Polícia Civil do Estado de São Paulo, com o objetivo de calcular as estatísticas relativas a óbitos no trânsito. Para informações sobre acidentes com vítima, são utilizados os dados recebidos da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal. Ele é, portanto, uma ferramenta valiosa para mapear os acidentes e óbitos no trânsito e fornecer subsídios para que o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito possa elaborar e desenvolver políticas públicas e operações focadas em reduzir pela metade as vítimas fatais nos acidentes de trânsito, no Estado, até 2020. 

Movimento Paulista de Segurança no Trânsito 

O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito foi lançado em agosto de 2015 e é responsável por construir um conjunto de políticas públicas para reduzir o total de vítimas de acidentes de trânsito no Estado. Ele é um desdobramento do Decreto nº 61.138/2015, que determinou a elaboração de medidas para diminuir o número de vítimas no trânsito. 

A meta de redução de óbitos é de 50% em relação ao índice de 2010, ano anterior ao início da Década de Ação Pela Segurança Viária, da Organização das Nações Unidas (ONU), quando o Brasil participou como país signatário da convocação para esse esforço mundial. Naquele ano, eram registrados no Brasil, segundo o DATASUS, 22,5 óbitos por 100 mil habitantes. O objetivo é chegar, em 2020, a 11,25 óbitos por 100 mil habitantes. 

“O Brasil, em 2010, tinha em torno de 23 mortes por 100 mil habitantes anualmente. A ideia é, no mínimo, reduzir pela metade essa taxa. Fundamental lembrar que nesse mesmo período o Estado de São Paulo tinha, comparativamente, menos mortes: 17 por 100 mil. Nós temos o segundo menor índice do País; só perdemos para a Amazônia”, comentou Alckmin, referindo-se a São Paulo ter fechado o ano de 2015 com 13,7 óbitos por 100 mil habitantes. 

O comitê gestor do Movimento é coordenado pela Secretaria de Governo e composto por mais oito secretarias: Casa Civil, Segurança Pública, Logística e Transportes, Saúde, Direitos da Pessoa com Deficiência, Educação, Transportes Metropolitanos e Planejamento e Gestão, por meio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran.SP). 

Para que a meta de redução de 50% no número de vítimas fatais em decorrência de acidentes de trânsito seja alcançada, o governo vem intensificando esforços em atividades voltadas a educação no trânsito, segurança das vias e veículos, além de gestão nas respostas para acidentes. 

Afora o esforço do governo para baixar o número de acidentes nas vias do Estado de São Paulo, o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito conta com o envolvimento da sociedade civil. São empresas engajadas na promoção de um trânsito mais seguro, entre elas Ambev, Abraciclo, Arteris, Banco Itaú, Optas, Porto Seguro e Ultra. Dentre os apoiadores, a Ambev, por exemplo, investe em tecnologia e treinamento para garantir a segurança de seus funcionários, que trabalham em uma frota de mais de 12 mil veículos, entre motocicletas, carros e caminhões. Já a Porto Seguro lançou a campanha Gentileza gera Gentileza, para evitar discussões no trânsito e incentivar a gentileza entre usuários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana

Coisa Velha

Jornal BLEH!