sábado, 3 de setembro de 2016

Coluna "Trânsito e Vidas"




Motores flex fuel ou elétricos... faça sua escolha!

Mario Divo*

Alguns amigos especializados em questões de propulsão e energia têm discutido sobre as projeções dos futuristas, os quais apontam o final da era do combustível fóssil e a o início da era da energia limpa, aquela que seria isenta de emissões poluentes como conhecemos hoje, principalmente de gases poluentes e de efeito estufa. Especificamente, um tipo de combustível que está no centro desse debate é o diesel.

Em São Paulo, está em alto ritmo de crescimento a MWM International, com o plano de produção de motores para caminhões em escala global. A empresa tem um portfólio de exportação para 30 países, com 40 mil motores por ano, e atende veículos de todos os tamanhos. Segundo técnicos da MWM, não é correta a ideia que se tem de que o motor a diesel é mais poluente que o motor a gasolina ou a álcool. 

A argumentação técnica é que um motor, em resumo, emite vários tipos de gases. O motor a diesel é o que tem menor emissão de cinco dos gases lançados por propulsores de automóveis, sendo um maior emissor de dois deles. A questão é que um desses gases tem o material particulado que produz a conhecida fumaça preta, visível a olho nú. O diesel hoje comercializado já contém uma percentagem pequena de biodiesel, havendo esforços para aumentar essa mistura e viabilizar o uso em motores até para tratores.

Tecnologicamente, o motor flex não tem segredo e depende da demanda de mercado, já existindo um kit de conversão, fabricado pela Bosch, que transforma o motor diesel em motor diesel-gás natural. Em paralelo, a indústria automotiva segue investindo na mesma linha, agregando o veículo elétrico como um novo paradigma em eficiência do motor, com nível zero de emissão (ruídos e gases), deslocamento mais suave, travagem regenerativa e custo menores de utilização, incluindo impostos e incentivos. Certamente, o veículo perde na autonomia, tempo de carga e custo de aquisição (baterias e veículo).

Enfim, o motor a diesel evolui para um motor universal, com tecnologia mais econômica e menos poluente, incorporando o consumo híbrido de álcool, gasolina, diesel e gás natural. E o veículo elétrico torna-se mais presente no cotidiano. Qual sua aposta para o futuro?

* Mario Divo é o Diretor Institucional do ACBr - Automóvel Clube Brasileiro e também é do Clube Correspondente da FIA - Federação Internacional do Automóvel - E-mail mario@automovelclubebrasileiro.com.br - Site www.automovelclubebrasileiro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana

Coisa Velha

Jornal BLEH!