Pesquise no Google

sexta-feira, 8 de março de 2019

Alpha Testes: Volkswagen acerta no conjunto mecânico do Virtus Highline




Equipada com motor 200 TSI com até 128 cavalos, versão tem preço a partir de R$82.870,00 

A Volkswagen apresentou o Virtus em fevereiro de 2018 e em 11 meses foram quase 42 mil unidades comercializadas – isso mostra o sucesso do modelo que tem preço a partir de R$63.440,00. Ele é oferecido nas versões MSI, Comfortline e a Highline, topo de entrada com preço a partir de R$82.870,00 e que tivemos a oportunidade de conhecer e avaliar. 


O Volkswagen Virtus Highline é equipado com motor de 1.0 TSI de até 128 cavalos e transmissão automática de seis velocidades. Se no quesito design os gostos individuais podem deixar dúvidas sobre o sedã compacto mais bonito do mercado, o conjunto mecânico da versão certamente é o melhor do segmento. 

O Volkswagen Virtus Highline conta com recursos inéditos de conectividade e digitalização. Com o IBM Watson, pode responder questões sobre o veículo, incluindo informações contidas no manual do carro. Essa solução permite uma nova forma de interagir com o veículo e oferece uma nova experiência tecnológica. 


Visualmente, destaque da parte dianteira com o vinco que margeia a entrada de ar e corta o espaço entre o conjunto ótico principal e os faróis de neblina. Bem marcada, essa linha de caráter teve como referência o estilo do Volkswagen Arteon – sedã não comercializado no Brasil. 

As grandes superfícies dos faróis de neblina e indicadores de direção terminam em ângulos com contornos tridimensionais. Entre elas ficam duas entradas de ar: uma em forma de “V” no meio e uma segunda entrada estreita que se estende por toda a largura. O resultado é que o Virtus Highline tem visualmente uma “boca” bem ampla graças ao contorno da grade inferior do para-choque. 

Os faróis de perfil baixo e dupla parábola dão ao carro uma aparência mais concentrada, voltada para a frente. A segunda barra da grade do radiador é cromada e começa nas laterais do logotipo Volkswagen, unindo as linhas cromadas dos faróis. A assinatura das luzes de condução diurna em LED, ao lado dos faróis de neblina. 

O modelo adota a linha dupla em forma de flecha na lateral. A primeira passa pelas principais sessões laterais do modelo, do para-lama dianteiro, cruzando as portas e seguindo até a extremidade das lanternas traseiras. A segunda, mais abaixo, se desenvolve do grafismo 3D das lanternas traseiras e também se estende para a frente nos para-lamas dianteiros, onde sobe ligeiramente, encontrando a linha superior. Essa linha de caráter define o perfil lateral do sedã, formando uma forte seção de “ombros” e dando ao Virtus uma atitude rebaixada e esportiva. Com 4,48 metros de comprimento, o Virtus Highline é um dos maiores entre os seus concorrentes diretos e seu porta-malas conta com 521 litros de capacidade. 


Como não poderia ser diferente, o Volkswagen Virtus Highline segue o padrão global de sedãs da marca, com lanternas duplas e identidade visual marcante. As grandes lanternas conectam os para-lamas com a tampa do porta-malas e têm um ângulo reverso, semelhante às do Jetta. Outro destaque é o defletor na região superior da tampa, colaborando com a aerodinâmica e evidenciando o visual esportivo. A placa fica bem ao centro da tampa do porta-malas, entre as lanternas, criando um layout harmonioso. O para-choque conta com um uma moldura na parte inferior, que atravessa toda a traseira. Dependendo da versão, esse elemento é cromado, tornando o conjunto ainda mais refinado. 

O Volkswagen Virtus Highline tem garantia de fábrica de três anos, sem limite de quilometragem. E está disponível em sete cores: Preto Ninja, Branco Cristal e Vermelho Tornado (sólidas) e Cinza Platinum, Azul Night, Prata Sirius e Prata Tungstênio (metálicas).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana

Coisa Velha

Jornal BLEH!