Pesquise no Google

sábado, 11 de maio de 2019

Alpha Motos: Saiba o que analisar na contratação de seguro para motocicletas




Número de modelos que circulam pelas ruas cresceu cinco vezes nos últimos 20 anos 

Levantamento recente divulgado pelo Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) aponta que, nos últimos 20 anos, o número de motocicletas que circulam pelas ruas aumentou cinco vezes. Enquanto em 2007 existiam pouco mais de 1 milhão de motos em circulação em todo o estado, no fim de 2017 este número pulou para mais de 5 milhões. 

Gláucio Toyama, diretor de Produtos Auto da Mapfre, explica que as motos têm sido cada vez mais usadas pela população como uma alternativa ao crescimento dos engarrafamentos nas grandes cidades. "Apesar da popularização deste tipo de transporte nos últimos anos, a contratação de proteção para motocicletas ainda é muito pequena", diz. 

Dados do setor corroboram a afirmação do executivo, estimativas da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais (CNSEG) indicam que 70% dos veículos circulam em território nacional sem nenhum tipo de cobertura. "A projeção é que o percentual de motos sem seguro seja ainda maior", comenta Toyama. 

O diretor destaca que a falta da cultura do seguro é um dos principais fatores para a baixa penetração da proteção neste segmento. "Outro ponto é que os motociclistas imaginam que este tipo de serviço é muito caro, o que não é verdade. É importante deixar claro que o valor do contrato depende de uma série de fatores que são analisados, como o tipo da motocicleta, rotina de uso, perfil do segurado, entre outros". 

O que considerar na contratação do seguro 

É importante que os proprietários de motocicleta observem as coberturas ofertadas na apólice ao contratar o seguro para que possam obter a proteção mais adequada à sua necessidade, evitando gastos desnecessários. 

A Mapfre, por exemplo, conta com um pacote básico denominado 'Duas Rodas Online', direcionado para motocicletas de até 500 cilindradas, que garante proteção para casos de colisão, incêndio e roubo/furto. "Este plano já protege o cliente contra os imprevistos mais recorrentes, como roubos, acidentes, danos ocasionados à pintura e enchentes. Contudo, dependendo do uso que o segurado faça da moto, ele pode adicionar outros itens, como danos aos faróis, lanternas e retrovisores de motocicleta", destaca Toyama. 

Outra opção ofertada pela companhia é a apólice para motos com mais de 500 cilindradas, o 'Duas Rodas Special'. Além dos itens básicos (roubo, incêndio, colisão), o seguro oferece benefícios diferenciados, como extensão de reboque – ideal para os amantes de viagens já que serviço pode ser ampliado para até mil quilômetros –, reposição da roupa de proteção e até inclusão de assistência 24 horas para a residência. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana

Coisa Velha

Jornal BLEH!