Pesquise no Google

quarta-feira, 25 de março de 2020

Alpha Serviços: Saiba como lidar com a ansiedade em tempos de coronavírus




Priscila Martins*

Em época de coronavírus, os sintomas de ansiedade vêm se intensificando. É esperado que o confinamento domiciliar eleve o desconforto emocional e por isso vim esclarecer o que é, como ela funciona e como podemos trabalhar a ansiedade para que ela reduza durante esse período de crise. 

A ansiedade é uma emoção inerente ao ser humano, surge ao enfrentarmos situações estressantes. Quando excessiva, pode se tornar um transtorno, fazendo com que sintomas de preocupação e medo se elevem. 

O tempo prolongado de ansiedade aumenta o nível de tensão e o estresse interno, podendo levar ao surgimento do medo específico ou até mesmo irreal.

As causas que costumam originar a ansiedade são diversas, podendo ser por um motivo específico ou uma combinação de fatores ambientais, genéticos, psicológicos ou traumáticos.

Quando considerado um transtorno, deixa de ser a ansiedade comum vivida antes de algo que irá acontecer e apresenta alguns sintomas:

* Preocupações e inseguranças exageradas;

* Sensação contínua de que algo ruim vai acontecer;

* Medo estremo de algo ou situações em particular;

* Falta de controle sobre os seus pensamentos e atitudes;

* Pavor após uma situação muito difícil;

* Comportamentos compulsivos e irritação.

A ansiedade é, basicamente, uma resposta do corpo, que reage através de pensamentos automáticos. Apresentam reações de resposta ao estresse, preparando o corpo para fugir ou lutar em uma situação de perigo.

Isso ocorre com a liberação de adrenalina, que causa reações como:

* Acelerar os batimentos cardíacos e contrair os vasos sanguíneos, para levar o sangue mais rapidamente

* Dilatar os brônquios, para aumentar a respiração e o consumo de oxigênio

* Diminuir a motilidade do intestino, para guardar energia para outras ações

* Dilatar as pupilas, para melhorar a visão mesmo em pouca luz

* Aumentar a liberação da glicose no sangue, para dar mais energia às células.

A liberação do cortisol também ocorre neste processo trazendo alguns outros impactos ao corpo. Dependo do nível de estímulo dado ao corpo através da ansiedade é possível que ocorram os ataques de Pânico. 

Suas principais características são:

* Sensação de nervosismo e pânico incontroláveis

* Sensação de morte

* Falta de ar 

* Aumento da frequência cardíaca

* Tonturas e vertigens

* Problemas gastrointestinais.

Em alguns casos, os sintomas físicos são tão intensos que podem ser confundidos com doenças como infarto e a falta de ar no momento de transmissão do (Covid-19) podem levar a pensamentos catastróficos e se distanciando da percepção da realidade, já que o ataque de Pânico não apresenta nenhum risco de morte ou lesão corporal. 

Já se sabe que o os fatores que mais elevam a ansiedade nesse período de crise é a desorganização mental e excesso de informações absorvidas sobre o tema. 

O que podemos fazer para lidar com esses desconfortos físicos e emocionais:

* Controle no ritmo de atividade: em momento de quarentena estão se recomendando muitas atividades para que se sintam produtivos, cuidado para não cair na armadilha de se sobrecarregar e aumentar ainda mais o nível da ansiedade, ou pelo sentimento de incapacidade de não conseguir dar conta de tudo. 

* Investir em momentos de lazer: ter momentos que fujam do estresse, mesmo que em casa devemos buscar realizar atividades prazerosas que nos tragam sensações de conforto e alegria, nos tirando o foco dos pensamentos negativos, nos proporcionando relaxamento e serenidade. 

* Prática de atividade física: as atividades físicas funcionam como remédio contra a ansiedade, portanto, pratique em casa atividades aeróbicas e que elevem a frequência cardíaca, pelo menos 3 vezes por semana, ajudará na redução dos sintomas. 

* Meditação: esvaziar a mente e buscar reduzir o nível de consciência, te trará alívios quanto a dificuldade de enfrentar a ameaça que você venha sentir pelo contágio ao vírus ou outras situações negativas nesse momento de crise. 

O que fazer durante uma crise de ansiedade?

É muito importante não tentar lutar contra o pânico, pois este não é um mecanismo consciente, ele é decorrente de mecanismos automáticos cerebrais. Faz parte de um sistema de defesa do organismo.

Tomem ações como:

* Respiração Diafragmática: é a respiração que é feita contraindo o diafragma, um músculo localizado entre a cavidade torácica e a cavidade abdominal. O ar entra nos pulmões, o peito não sobe e a barriga se expande durante esse tipo de respiração. (igual a respiração dos bebês). 

* Manter a mente com foco no momento presente: busque no momento da crise focar em um objeto presente no seu ambiente e observe todos os detalhes dele, sem se preocupar com o que está à sua volta, observe o material que ele é feito, a altura e espessura do objeto, conte as polegadas ou outros aspectos do objeto. Isso ajudará o seu cérebro focar a atenção e os sintomas reduzirem. 

Para quem possui o transtorno de ansiedade antes mesmo da pandemia que estamos vivendo e hoje isso vem se agravando, siga as recomendações:

* O diagnóstico precoce e preciso do transtorno de ansiedade, com tratamento eficaz e acompanhamento, são imprescindíveis para obter melhores resultados e menores prejuízos.

* A maior parte das pessoas com o transtorno começam a se sentir melhor e retomam as suas atividades depois de algumas semanas de tratamento. Por isso, é importante procurar ajuda especializada de Psicólogos e Psiquiatras. 

Juntos conseguiremos enfrentar as dificuldades emocionais que estamos vivendo e cultivar a esperança no dia de amanhã. 

*Priscila Martins, Psicóloga, e-mail psipriscilamartins@gmail.com e instagram @psicologa_priscilamartins

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana

Coisa Velha

Jornal BLEH!