sábado, 20 de fevereiro de 2021

Alpha Serviços: Confira quatro curiosidades sobre os pneus run flat




Há no mercado três tipos de tecnologias disponíveis

Como toda a solução inovadora, o run flat gera sempre muitas dúvidas. Os pneus auto selantes possuem um futuro promissor e vamos abordar quatro curiosidades sobre essa tecnologia que vem ganhando cada vez mais atenção da indústria automotiva ao permitir ao motorista continuar rodando com o veículo em caso de perda total da pressão interna do ar.


“Quando combinados a camadas de espumas de poliuretano, muito parecidas com esponjas, chegam a reduzir o nível de ruído interno percebido pelos passageiros em 9dB, o equivalente à diferença entre uma conversa e uma discussão acalorada”, diz Rafael Astolfi, gerente de assistência técnica da Continental Pneus.


1 – Há diferentes tipos de tecnologias – Há, basicamente, três tipos de pneus run flat: os com “suporte auxiliar”, que contam com peças em forma de anel em seu interior para suportar a carga em caso de perda de pressão; os pneus “auto suporte”, mais comuns, que contam com reforços de borracha em suas laterais para suportar o peso do veículo e, os mais modernos, os chamados “auto selantes”, que dispõem de uma camada polimérica viscosa de baixo índice de vulcanização em seu interior capaz de selar furos como uma cola.

2 – Parecem iguais, mas não são – Embora pareçam iguais, cada tipo de run flat possui a sua especialidade. Normalmente, os pneus que contam com os anéis de suporte em seu interior são mais difíceis de serem montados e balanceados.

“Porém, são ideais para veículos blindados, veículos de segurança e militares, pois resistem a danos em suas laterais e continuam estando aptos a rodar, mesmo que precariamente, quando totalmente destruídos”, explica Rafael Astolfi.

3 – O favorito das montadoras - Os pneus do tipo “auto suporte”, são os mais comuns do mercado por serem mais funcionais e de valor acessível. São mais leves em comparação aos pneus de suporte auxiliar, porém susceptíveis a ficarem inutilizados em caso de danos nas laterais. Demandam rodas especiais e não são intercambiáveis com pneus comuns. Algumas montadoras, como Mini e BMW, adotam os pneus do tipo SSR em praticamente 100% de seus veículos.

4 – Segurança e silêncio adicional - Os pneus run flat mais modernos - que, na verdade não são run flats, pois não rodam sem ar e que vêm ganhando espaço no mercado. Apesar de serem os mais caros entre os três tipos, eles trazem muitas vantagens: são os mais leves e mais silenciosos, podem ser intercambiados com pneus comuns e não afetam a dirigibilidade ou conforto do veículo. Entretanto, também são sensíveis a possíveis danos nas laterais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana