Campanha AACD Teleton 2021

Cursos Mecânica Online

terça-feira, 5 de outubro de 2021

Alpha Notícias: A importância da redução da alíquota do ICMS para carros elétricos




Medida anunciada pelo Governo do Estado de São Paulo contribui com a redução da poluição do ar e sonora

O governo do Estado de São Paulo anunciou a redução do ICMS - Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços de ônibus, caminhões e veículos elétricos, de 18% para 14,5% e para veículos usados a redução foi de 3,9% para 1,8%.

As novas alíquotas entrarão em vigor a partir de janeiro de 2022. O corte do ICMS para os automóveis eletrificados é uma antiga reivindicação do setor, já apresentada às autoridades paulistas em sucessivas reuniões.

Segundo Evandro Mendes, CEO da Eletricus, a medida anunciada pelo governador João Doria é um direcionamento muito importante para incentivar a inovação na indústria automobilística e, principalmente, contribuir com a redução da poluição do ar e sonora.

"Ao apoiar as tecnologias limpas e eletrificadas de transporte público, individual e de carga, São Paulo proporciona o avanço de uma tecnologia que faz bem para a cidade. 50% da poluição do ar é causada por ônibus e caminhões, que representam apenas 5% da frota metropolitana."

De acordo com o anúncio, as novas medidas de incentivo econômico foram possíveis graças à recuperação da capacidade de investimento do Estado de SP, proporcionada pelo ajuste fiscal de 2020 e o crescimento da economia acima da média nacional. Os números de São Paulo se destacam inclusive em relação à economia global, sendo que o PIB de 2021 (projetado em 7,5%) crescerá acima da média mundial (6%). Em relação aos níveis pré-pandemia, a economia paulista já está 7% acima.

Para ele, além de serem bons para o meio ambiente, os veículos elétricos também serão bons para o bolso. "O custo com a manutenção cai significativamente quando comparamos um veículo elétrico com o movido à combustão. Além disso, o custo com a energia elétrica, principalmente no mercado livre de energia ou geração distribuída é muito menor em relação aos combustíveis fosseis", acrescenta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens da semana